sigufpa

1º Dia de Seminário Interdisciplinar - Grupos de pesquisa de diferentes áreas do conhecimento compartilham experiências no Seminário de Pesquisa Interdisciplinar

30.08.2017 Evento Germana Foto Alexandre de Moraes site3

Seis grupos interdisciplinares de pesquisa na Universidade Federal do Pará (UFPA) tiveram a oportunidade de compartilhar suas experiências vivenciadas com diferentes áreas do conhecimento. O encontro ocorreu nesta quarta, 30, e segue até esta quinta, 31, no auditório da Secretaria Geral dos Conselhos Superiores, no prédio da Reitoria, Campus Belém. Os resultados dos trabalhos foram apresentados durante a programação do Seminário de Pesquisa Interdisciplinar, aberto à comunidade acadêmica.

Entre os representantes da mesa de abertura, estavam o reitor da UFPA, Emmanuel Tourinho; o pró‐reitor de Pesquisa e Pós‐Graduação (Propesp), Rômulo Simões Angélica; a diretora de Pesquisa da Propesp, Germana Sales; e os professores convidados, Arlindo Junior, da Universidade de São Paulo (USP), Maria do Carmo Martins Sobral, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), e Roberto Carlos dos Santos Pacheco, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), especialistas na área de interdisciplinaridade.

30.08.2017 Evento Germana Foto Alexandre de Moraes site2O reitor Emmanuel Tourinho destacou a importância da formação desses grupos que, de maneira integrada, poderão dar respostas a problemas complexos da sociedade. “Além de produzir conhecimento sobre os problemas complexos das sociedades, precisamos formar nossos alunos para a interação com ambientes que apresentam desafios dessa ordem. A execução de projetos interdisciplinares com a participação de discentes da graduação nas equipes também atende a esse objetivo.”

Força - A interdisciplinaridade é uma área que vem ganhando força nas instituições de ensino superior no país. Na UFPA, a proposta do Programa Especial de Apoio a Projetos de Pesquisa – Ação Interdisciplinar (PE-Interdisciplinar) surgiu em junho de 2013, quando a Universidade sediou o Encontro Acadêmico Interdisciplinaridade no Ensino, na Pesquisa e na Extensão – Região Norte. O Encontro integrou uma sequência de eventos que culminou, em 2014, com a realização na Capes, em Brasília, do III Encontro Acadêmico Internacional Interdisciplinaridade nas Universidades Brasileiras. Os eventos discutiram experiências acadêmicas e políticas voltadas à internalização e institucionalização da interdisciplinaridade nas universidades e nos órgãos de fomento do país.

30.08.2017 Evento Germana Foto Alexandre de Moraes sitePara 2018, a Propesp já prepara um novo edital do Programa, o qual tem como objetivo estimular a formação e a consolidação de grupos de pesquisa que integrem pesquisadores e bolsistas de diferentes áreas do conhecimento. “Esse programa possibilita uma ação de diálogo entre as áreas, numa projeção que leva a muitos outros caminhos, tanto para os professores como para os alunos, de interlocução de teorias e práticas, no sentindo de envolver, também, a sociedade e pensar projetos que tenham essa finalidade”, frisou a diretora de Pesquisa, Germana Sales.

Com o PE-Interdisciplinar, os seis projetos de pesquisa receberam apoio do primeiro edital lançado em 2014, entre eles, o projeto “Museu e Patrimônio: Musealização no Centro Histórico de Belém do Pará”, coordenado pela professora Carmem Lúcia da Silva. A apresentação dos resultados do projeto foi feita pela pesquisadora Sue Costa. Ela fez uma explanação sobre como a população que passa ou trabalha no entorno do Centro Histórico de Belém se relaciona com essa área.

 

30.08.2017 Evento Germana Foto Alexandre de Moraes site4“Observamos que, de certa forma, a população tem uma relação diferente com o centro histórico. A maioria que trabalha há 30 anos no entorno, como por exemplo, vendedores ambulantes, não se sente convidada a entrar. Esse é um ponto de reflexão de que os museus são redutos de gente que pode ter acesso a esse conhecimento e a população do entorno se entende como não pertecente a esse universo. A partir dessa observação, sugerimos aos museus que criassem uma pauta comunitária, que escutassem as pessoas do entorno; o que elas querem ver no museu, que tipo de exposição interessa, enfim, pensar em exposições que falem mais diretamente com as pessoas do entorno, porque elas também têm curiosidades. É preciso escutar seus diferentes públicos”, disse a pesquisadora.

A aluna do curso de Museologia, Tainá Monteiro de Castro, foi uma das bolsistas integrantes do projeto e falou da sua experiência com a pesquisa acadêmica. “Percebi o quanto é importante a pesquisa para a minha formação. Foram dois anos de trabalho, que serviu para o meu Trabalho de Conclusão de Curso, e agora pretendo seguir na mesma linha de pesquisa, que é a área de conservação, para o meu mestrado.”

 

Texto: Ericka Pinto – Assessoria de Comunicação da UFPA
Fotos: Alexandre de Moraes

 
Copyright © 2017 Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UFPA. Todos os direitos reservados.